Vender Mega Man? A Capcom não fará isso tão cedo (Artigo)

Via: Know your meme

     Toda vez que alguma empresa anuncia um novo produto relacionado à Mega Man, ao passo que a própria Capcom não anuncia nada de novo, esse tópico sempre volta a tona: se é para não lançar nada, por que já não vender logo a série de uma vez por todas? É um questionamento compreensível, vindo de um desejo mais compreensível ainda. Ver aparições como a feita no último Smash Bros atiçam a imaginação: se a Nintendo fez tanto apenas em um jogo "crossover", o que ela faria em um jogo dedicado apenas à série? A realidade infelizmente não é tão simples, e é bom lembrar que a Nintendo também manteve - e mantém - algumas de suas franquias no mesmo estado que Mega Man. Fugindo do óbvio, algum de vocês lembra quando o último Advance Wars foi lançado? Foi em 2008. Mas não adianta tentar explicar: desejo não é algo racional. É passional, instintivo, impulso. E plantada a ideia, é inevitável pensar: e se a empresa "X" comprasse Mega Man, o que ela faria? E por mais que tal exercício de imaginação seja divertido, é bom fazê-lo de maneira realista. Pois dificilmente a Capcom venderá Mega Man ou qualquer outra de suas propriedades.


Admita: você já pensou ( e possivelmente desejou) que a Nintendo comprasse Mega Man

   Parem para pensar: quantas vezes vocês já viram empresas vendendo suas propriedades intelectuais? Não é algo que acontece com frequência. E normalmente quando acontece, tal venda se relaciona a falência ou concordata da empresa vendedora em questão. Mas a Capcom não vai falir. Pelo menos não nos próximos anos. De fato, ela tem perdido parte de seu valor de mercado. Os tempos de bonança já foram, mas a empresa ainda está fundada em bases sólidas. Resident Evil é um exemplo disso. Independente do que a crítica diga, os jogos vendem. E independente do que a crítica cinematográfica diga, os filmes ainda tem público. É inocente acreditar que tal máquina geradora de dinheiro não pagará as contas em um caso de emergência. Em termos mundiais, Street Fighter tem relevância comparável, e localmente, Monster Hunter ainda é uma grande fábrica de dinheiro que a Capcom tem se esforçado em levar para novos públicos. Mesmo que todo o resto das marcas pertencentes a Capcom passassem a gerar prejuízo, ela ainda teria esses três pilares de sustentação no qual ela poderia se escorar. Nada garante que tais marcas darão dinheiro eternamente, mas alguma hecatombe precisaria acontecer para a Capcom falir possuindo tais franquias. 


Independente das controvérsias, Resident Evil segue vendendo, e segue entregando jogos
que fidelizam seu público

     Mas é tão impossível assim vender a série sem falir? Se a Capcom quisesse, ela poderia vender. Mas há duas questões acerca de tal possibilidade que explicam a razão de isso não acontecer: quem compraria, e por qual razão a Capcom aceitaria essa venda? Parecem questões triviais, mas são cruciais. Comprar Mega Man significaria comprar uma centena de jogos, animações, quadrinhos, brinquedos e outros produtos cujo os contratos certamente tem cláusulas relacionadas a vendas desse tipo. Imaginem que a Bandai resolva comprar a série. Eles tem dinheiro para isso, e mais do que ninguém eles sabem transformar marcas em fontes de dinheiro. Mas a Capcom tem acordos de lançamentos de action figures e model kits com outras empresas além da Bandai. Se a Bandai aceitasse concretizar essa venda, ela teria duas soluções para esse impasse: permitir que essas outras empresas vendessem esses produtos até que o contrato fosse encerrado, ou quebrar o contrato e arcar com as multas decorrentes disso. Nenhuma das soluções é lucrativa, ainda mais para uma empresa que já possui várias outras marcas importantes. Logo, comprar Mega Man seria um mau negócio. Ainda mais que, se alguma empresa quiser tanto um jogo da série Mega Man, é só pagar apenas por tal jogo. Foi o que a Nintendo fez com Bayonetta 2. Não foi necessário comprar a franquia ou o estúdio do jogo, apenas pagá-lo por um único serviço. Só que, lançado o jogo, tudo voltaria ao normal e Mega Man seguiria nas mãos da Capcom. O que leva ao outro ponto.


Bayonetta 2

     Se a Capcom pode lucrar licenciando Mega Man, por qual motivo ela venderia a série e pararia de ganhar dinheiro com ela?Pensem na HQ da Archie Comics. A Capcom não gastou dinheiro com ela, mas além de ganhar dinheiro, ela conseguiu um material que chamou um novo público e ao mesmo tempo ainda manteve o público tradicional ocupado. E esse é só exemplo mais notável, pois sempre surgem novos produtos e derivados de produtos antigos. Mega Man Mastermix é um exemplo: um mangá já lançado no passado ganhando uma nova edição com adicionais que justificam a sua compra. De novo, a Capcom lucrará com algo que ela não estará gastando dinheiro produzindo, mas ainda sim manterá o público ocupado. 


Mega Man ainda é uma fonte fértil de produtos. Pelo menos por enquanto

     Mas há algumas coisas a se pontuar aqui. Mesmo com tudo isso posto a mesa, se a Capcom quiser vender Mega Man e alguém ainda sim quiser comprar, tal venda de fato pode acontecer. É altamente improvável sob qualquer aspecto, mas não impossível. Mas quem exatamente deveria fazer tal compra? A Nintendo? A Bandai? Esse é um ponto que muitos acabam negligenciando. Qual empresa teria condições de bancar a compra da série e mantê-la na ativa? Genuinamente, essa é uma pergunta que eu não tenho resposta. E há algo que a própria Capcom tem ignorado (ou ao menos parece ignorar). Mega Man é uma franquia de jogos. A Ferrari lança todo o tipo de produtos derivados, mas ela é antes de tudo uma escuderia de carros de corrida e uma marca de carros esportivos. Se a equipe for fechada e os carros deixarem de ser construídos, a marca perde o apelo e os licenciamentos perdem sua razão de ser. Se a Capcom quer valorizar a marca Mega Man, ela precisa criar jogos. Ou as fontes de renda apontadas no texto deixarão de funcionar.


As pessoas compram produtos da Ferrari por almejarem seus carros, assim como compram produtos de Mega Man por almejarem seus jogos. E é bom a Capcom não se esquecer disso

Share on Google Plus
    Blogger Comment

0 Comentários:

Postar um comentário