Presença feminina no Universo Mega Man

     Olá caros leitores, como tem passado? Os mais aficcionados com video-games sabem que, desde a introdução de Samus Aran como protagonista de um jogo, a indústria de games passou a dar mais espaço para outras personagens femininas darem as caras em títulos posteriores, dentre elas podemos citar: Zelda, Jill Valentine, Lara Croft, Rosalina dentre outras. No texto de hoje vamos falar mais sobre as personagens femininas da franquia Mega Man, que vão desde civis a exímias combatentes que dão aquela força para os protagonistas e por vezes até mesmo sendo o centro das atenções em determinados títulos como Mega Man ZX

Arte por Vinix-tkc


AS APARÊNCIAS ENGANAM

     Ao nos depararmos com a imagem, acima algumas pessoas podem encarar as personagens como mais um bando de donzelas indefesas ... Mas segura a onda aí! Por trás dessa aparência delicada se escondem poderosas guerreiras, excelentes estrategistas além de algumas que, apesar não entrarem em combate, se provam seu valor em diversos momentos seja por indicar a localização de itens para os protagonistas ou por fabricar upgrades que vão ajudar o herói (ou heroína) ao longo da trama.

     Podemos mencionar o caso da reploid Prairie (também conhecida como Alouette em Mega Man Zero) que aparenta ter 16 anos de idade e conta com suas habilidades de comando, provavelmente obtidas ao longo de seus 200 anos de vida, para guiar os Guardians em sua muitas missão de manter o que sobrou da população do planeta em segurança. A forma como a personagem é introduzida em Mega Man ZX (tanto no jogo como no mangá) não deixa margens para duvidar da determinação e da coragem que a garota demonstra.

Prairie e sua pelúcia

     Outra personagem que chamou atenção de muita gente foi a graciosa e letal Splash Woman (introduzida em Mega Man 9), dona do título de primeira chefe feminina da Série Clássica. Vai se iludindo pensado que derrotar essa moça vai ser mamão com açúcar! Como se não bastasse o fato do jogo ser difícil por natureza, ainda somos presenteados com o fato da Splash ser bastante ágil em seus movimentos, exigindo assim destreza por parte do jogador para derrota-la. Particularmente sempre achei que poderia ser interessante termos mais personagens femininas porque até então apenas Roll e Kalinka haviam sido apresentadas (e com participação reduzida). O resultado é que Splash foi bem aceita pelo público e não ficou presa ao jogo como também deu as caras nas HQs da Archie e em uma história especial do mangá Mega Man Megamix

Olha que coisa mais linda ... mais cheia de graça


NÃO ESTÃO LÁ SÓ DE ENFEITE

     A primeira vez em que foi possível ter uma experiência de gameplay com alguma personagem feminina da franquia foi em Wily and Right's RockBoard: Thats Paradise lançado em 15 de Janeiro de 1993 para o NES. O game era basicamente um jogo de tabuleiro muito similar ao popular Monopoly porém tematizado com elementos presentes nos títulos do Mega Man. Outro jogo que merece destaque é Mega Man: Battle & Chase lançado em 20 de Março de 1997 para PS One. É só bater o olho que muitos dirão que se trata de um Mario Kart tematizado (e na prática existem muitos elementos em comum, coisa que também foi feita em outros títulos como Crash Team Racing). Dentre os corredores disponíveis temos novamente a Roll com seu veículo chamado Pop'n Beat, que conta com uma característica única em relação aos outros carros que é proporcionar mais potência para o motor enquanto o jogador não estiver em primeiro lugar. Além disso, temos a repórter Plum que, ao lado dos robôs Chest e Ripot, realiza a cobertura da corrida durante todo o jogo (além disso, a personagem também deu as caras no título Rockman Strategy).


Pop'n Beat - via Mega Man Wiki

     Depois dos anos 2000 é que os jogos da franquia passaram a receber maior participação de personagens femininas. O primeiro exemplo é o remake da série clássica para PSP chamado Mega Man: Powered Up que contava com novos cenários, dois novos chefes e a possibilidade de se jogar com outros Robot Masters (dentre eles a Roll). Se Mega Man usa seu buster como arma principal a Roll usa ... bem ... uma vassoura(!) por isso sei que algumas pessoas podem não gostar da ideia mas calma aí ... apesar dessa detalhe um tanto delicado o gameplay com a garota é dinâmico e amigável.

     Se tratando da série X, temos mais alguns bons exemplos para destacar que são as Navegadoras. Inicialmente o conceito foi introduzido em Mega Man X5 com a primeira aparição de Alia que, apesar de infelizmente não ser uma personagem jogável, auxilia X e Zero em sua busca de componentes para montar o canhão Enigma e o Ônibus Espacial além de alertar os protagonistas caso haja algum perigo por perto e indicar a localização de certos itens espalhados pelas fases. No jogo posterior, tivemos uma abordagem mais aprofundada do passado da Navegadora, especificamente seu antigo trabalho como pesquisadora ao lado de um dos antagonistas presentes no jogo, um reploid chamado Gate. Mais tarde, em Mega Man X8 a Capcom finalmente resolveu dar uma chance a ideia de introduzir mais personagens jogáveis, e o resultado? Alia e mais duas Navegadoras, Pallette e Layer, são introduzidas no game (as mesmas são desbloqueadas após o jogador cumprir certos requisitos).

As divas do X8 ... nem vem com essa de que jogar com X, Zero ou Axl é mais legal U-U - arte por Sprite37
     No mencionado título, o gameplay das Navegadoras é muito similar ao de suas contra-partes masculinas e isso fica evidente no estilo de jogo de cada uma. Tirando este aspecto, o simples fato de termos mais personagens femininas jogáveis agradou uma parte do fandom do Mega Man, e eu particularmente me incluo nessa lista, e se me permitem fazer um comentário pessoal, digo que Zero e Layer formam um par muito bacana e prova disso são os diálogos que os mesmos trocam durante certos momentos do jogo. Pena que a Capcom não explorou isso mais a fundo e nos deixou apenas com algumas declarações como a da imagem abaixo.

Aham ... sei <3

     Outro caso que não pode ficar de fora é o da Leviathan, que faz parte dos jogos da série Mega Man Zero como uma das antagonistas. Ela é a líder do exército Meikai de Neo Arcadia e, junto de HarpuiaFefnir Phantom, lutou contra Zero e a Resistência durante um determinado período antes de (SPOILER - Selecione o texto para revelar o conteúdo) morrer junto de seus colegas para salvar Zero em Mega Man Zero 3 (SPOILER). A mesma demonstra ser bastante habilidosa com ataques de curto alcance além de  ágil em ambientes aquáticos, o uso de uma lança especial é sua marca registrada.

Ela vai torrar toda sua paciência, acredite!

     Outra personagem que não poderia ficar de fora dessa postagem é a Iris, personagem que (cronologicamente falando) foi introduzida pela vez no jogo Mega Man Xtreme 2, lançado para o portátil Game Boy Color. Mas a mesma teve uma participação mais ativa na trama do jogo Mega Man X4 e no final das contas foi interessante que o relacionamento dela com Zero acontecesse, pois, responde a uma pergunta que algumas pessoas se fazem: "Robôs podem amar?".


Iris - via Mega Man Wiki




PERSONALIDADES MARCANTES

     Indo um pouco mais além dos jogos conhecidos e aclamados pelos fãs, ainda temos as séries Legends, Battle Network, Star Force e ZX que contam com personagens únicos e com características um tanto singulares, e se tratando da mulherada temos muito o que dizer também. Em Legends temos uma versão mais enérgica e desenvolvida da Roll além da vilã Tron que, apesar de seus atos criminosos, demonstra ter sentimentos afetivos por Volnutt (coisa que fica evidente nos diálogos ao longo do jogo), muitos devem se lembrar de como é divertido ver os pobres Servbots sofrerem nas mãos dela tentando agradá-la.

Não preciso dizer mais nada certo? hahaha


     Nas séries Battle Network e Star Force personagens como Roll, Medi, Meiru, Misora e Luna também são bastante participativas nas tramas (tanto nos respectivos jogos como também nos animes). Seguindo a tendência atual, essas personagens exercem um papel misto de donzelas e lutadoras, geralmente dando suporte para os protagonistas e servindo como interesse amoroso dos mesmos. Em Rockman.EXE Axess e Stream houveram muitos momentos cômicos entre Meiru e Neto ao longo de vários episódios, além do que a menina provou seu valor junto com outras personagens secundárias durante a saga Stream passando assim a ser digna de carregar a Duo Crest e lutar pela Terra no jogo doentio organizado pelo vilão, algo similar ocorre em Star Force com a diferença de que, tanto Luna quanto Misora, possuem personalidades bem definidas sendo que a primeira age como uma verdadeira tsundere durante boa parte do anime (o que rende uma porrada de episódios engraçados).


ASHE - UM CASO ESPECIAL
A verdadeira estrela em ZXA - arte por viruscore

     Agora chegou o momento de falar de uma das melhores personagens de Mega Man ZX (ou talvez até mesmo de toda a franquia) ... senhoras e senhores eu vos apresento a humana Ashe. Para quem não conhece a mesma foi introduzida no segundo jogo da série ZX e é uma das personagens jogáveis (coisa similar ao que aconteceu no primeiro jogo). Como descrevê-la? ... Creio que termos como "cheia de vida", "enérgica", "intensa" e "vida loka" servem muito bem para descrever uma personagem de seu porte, começando pela atitude da mesma. Basta jogar com Grey para perceber como o mesmo é inseguro e demasiado sério em diversos momentos (isso meio que diminui o carisma do personagem).

     Sabemos que em ZX existem outras garotas interessantes como, a já mencionada Prairie, Aile, Atlas e Pandora mas Ashe consegue se sobressair muito bem em meio ao tanto de personagens que existem. Em primeiro lugar ela é uma caçadora de recompensas que não mede esforços para alcançar seus objetivos, mas isso não faz dela uma pessoa mesquinha, coisa perceptível em seu primeiro contato com o Biometal Model A e sua vontade de lutar pelo que é certo.  Acredito que a marca registrada dela seja sua atitude "vida loka" e determinada ... para quem duvida de minhas palavras peço que confira abaixo a sequência inicial do gameplay de ZX Advent.



NEM TUDO SÃO FLORES

     Apesar de termos todas essas personagens, seja protagonizando suas próprias aventuras ou dando apenas suporte ao(s) personagem(ns) masculino(s) e bancando o alívio cômico, precisamos aceitar o fato de que elas quase sempre são mal aproveitadas pelos desenvolvedores e roteiristas de cada jogo. Essa crítica não é nem um pouco exagerada, basta percebermos o tanto de tempo que a Capcom levou para permitir que a Roll finalmente fosse jogável em algum jogo da franquia (haviam planos de incluir um modo para 2 jogadores em Mega Man 2 e ela seria a segunda personagem jogável).

     Somente em Mega Man X8 tivemos a possibilidade de jogar com as navegadoras, e isso prolongou a vida útil do jogo, pois, permitiu que novos diálogos surgissem e o uso de novos combos. Porém, a Capcom foi preguiçosa por não permitir que desde o X5 a Alia fosse jogável (e que tivesse seu próprio history-mode), infelizmente o X8 segue o mesmo vício de não dar uma história dedicada para a Alia, Layer e Pallete (o que é uma pena) ... o resultado? Temos apenas um "jogo espelho" já que elas possuem praticamente as mesmas habilidades e fraquezas que suas contra-partes masculinas.

     Para piorar um pouca a situação, o já citado Powered Up trouxe certas polêmicas consigo, e uma delas é permitir que a Roll lutasse contra os inimigos com uma vassoura, isso gera uma polêmica das grossas, pois, é atribuída uma imagem um tanto machista em cima de uma personagem tão carismática.

Essa imagem ainda vai causar muita treta nos dias de hoje - via Vizzed

     Mega Man ZX surgiu com uma proposta arriscada e diferente de tudo que já havia sido mostrado na franquia, permitir que pessoas comuns pudessem ser um Mega Man e nesse cenário decidiram apostar na introdução de personagens femininas mais bem construídas. No primeiro jogo temos Aile como personagem jogável, porém, parece que os produtores fizeram o jogo pensando somente em Vent e por isso a coitada da Aile fica apagada nessa história. Em ZX Advent a Capcom corrigiu esse problema por nos apresentar Ashe e suas facetas, o que na minha humilde opinião lhe rende o título de Rainha da Franquia ... Infelizmente, por conta do purismo exagerado por parte da fanbase (assunto que merece ganhar um post qualquer dia desses) a série ZX caiu no esquecimento e acredito que nunca veremos um desfecho para essa história bacana.


O QUE ESPERAR DO FUTURO?

   
Ainda há uma luz no fim do túnel - Call via Mighty No. 9 Wiki
     Durante a campanha do polêmico Mighty No. 9, permitiram que o público votasse na nova personagem feminina que seria introduzida no jogo e não seria uma simples NPC. Dentre os diversos designs existentes o mais votado foi o da imagem acima, e isso prova que ainda existe interesse em personagens femininas participativas por parte da fanbase (isso naquela época). Apesar de todos os atrasos no lançamento, ainda tenho fé de que veremos um bom jogo e que a Call seja bem desenvolvida ao longo da trama. E vocês, o que acham? Concordam com o que foi dito no texto?



FONTES: Mega Man Wiki / Mighty No. 9 Wiki / MMHP
Share on Google Plus
    Blogger Comment

3 Comentários:

  1. Tassio Bruno Silva13 de junho de 2016 20:13

    Ótimo texto, como sempre alias. Situação complicada viu... é ate engraçado vc pensar q enquanto mega man (franquia) a capcom n "liga" para personagens femininas, em Resident Evil, praticamente todo game tem uma personagem feminina pra ser a heroína da historia. Acusar a produtora de machismo portanto é "bobagem", mas a serie mega man com certeza é kkk



    Acho q qnd a capcom emplacar um bom game do mega personagens femininas vao ganhar destaque -- porque "está na moda" tbm. Agora... acho dificil termos uma do quilate de Zelda por ex. Mas aê essa Ashe é fodona viu -- mesmo sendo humana rs

    ResponderExcluir
  2. Que bom que gostou xD ... pois bem, neste ponto acho que não havia motivo para demorarem a nos apresentarem personagens femininas 'badass', não sei dizer se foi por medo ou insegurança por parte da Capcom que somente em Mega Man X8 e Mega Man ZX/ZX Advent que viemos ter de fato protagonistas femininas. Olhe para RE ... poxa, tem a Jill, a Claire e a Ada Wong ... todas elas personagens bem construídas e bastante corajosas. Em meio a esse cenário fica meio complicado não fazer comparações :P

    ResponderExcluir
  3. Tassio Bruno Silva14 de junho de 2016 15:52

    Pois é, exatamente por isso não podemos dizer que a produtora é "machista" ou algo assim -- mas têm sido com a seria mega... ah tem kk. Seria bom termos uma Roll mais ativa, ou personagens como a Ashe aparecendo em plots centrais da historia do mega. Mas né? É a capcom kk

    ResponderExcluir