A Metal Blade é uma arma desequilibrada?


     Que a Metal Blade é a melhor arma de Mega Man 2, isso não há dúvidas. Alta durabilidade, causa dano na maioria dos inimigos, atira em várias direções e ainda tem um apelo visual interessante, tanto pelas cores que Mega Man adquire, quanto pelo visual da Metal Blade em si ser legal (só eu acho isso?). É uma arma bastante útil, que se adquirida logo de cara, torna o jogo muito mais fácil. Mas ao contrario do que é comumente dito, ela ser forte não a torna necessariamente desequilibrada. Na verdade ela acaba por ajudar a equilibrar a dificuldade do jogo. E para entender isso, é interessante fazer um comparativo com o primeiro Mega Man.



Thunder Beam
     Nele, temos cinco armas que são de fato úteis como tal, já que o Super Arm do Guts Man serve muito mais para abrir caminho nas fases do que para causar danos nos inimigos. Cada uma delas é pensada para um tipo de situação ou inimigo, mas a arma que mostra maior versatilidade entre elas é o Thunder Beam, do Elec Man. Elec Man é o boss mais forte do jogo, podendo te derrotar com apenas três ataques. E mantendo o nivelamento de poderes, sua arma é a mais destrutiva do jogo. Ela lança nada menos que três raios de uma vez, em três direções simultâneas. Seu feixe é longo, causa mais dano que o tiro normal, e ainda possui uma grande durabilidade, podendo ser usada ao longo de fases inteiras sem precisar ser recarregada toda hora (tente fazer isso com a arma do Fire Man por exemplo, e veja se funciona. Já adianto que não vai dar muito certo). Essas características fazem com que ela se torne praticamente uma substituta para o tiro normal, mas não anula a existência das outras armas, tampouco torna o jogo fácil. Mas o equilibra. E a mesma coisa vale para a Metal Blade.

Mega Man 9 também tem sua Metal Blade
     A Metal Blade possui muitas características em comum com o Thunder Beam, talvez perdendo um pouco em força bruta, mas ganhando em versatilidade. Ambas acabam tendo essa mesma utilidade de se tornarem o "upgrade do tiro normal", mesmo que sejam tratadas como armas comuns. E não é apenas com esses dois jogos que esse tipo de coisa acontece. Em Mega Man 3 o Needle Cannon também acaba tendo esse tipo de efeito, mesmo que em escala reduzida. Em um caso relativamente mais recente, o Laser Trident de Mega Man 9 também é análogo a essas armas, sendo mais poderoso que um tiro comum e tendo uma boa durabilidade, mas seu "gimmick" não consiste em atirar em múltiplas direções ou quantidades, mas sim furar o escudo de inimigos mais fortes. Nas outras séries, esse tipo de função acabou não tão presente por mudanças na mecânica dos jogos. Na Série X, o buster tem upgrades graças as armaduras, fazendo com que os poderes acabem não sendo usados mais com essa função em específico. Isso por um lado serviu para que eles pudessem ser mais nivelados e ganhassem funções mais específicas, mas a longo prazo teve o efeito de fazer com que as armas adquiridas nos bosses se tornassem quase irrelevantes (pense bem, com que frequência você usava as armas dos bosses em Mega Man X5?). É claro, isso se tratando do gameplay do X, Zero é um caso que merece ser discutido separado.

     Ou seja,  Metal Blade não é um defeito do jogo, nem poderia ser. Ela e os inimigos foram planejados para funcionarem juntos, mantendo assim a jogabilidade equilibrada. Ela é "overpower"? Sim, mas não desequilibrada. Da mesma forma que a "Arma S" da série Contra também é, e nem por isso desequilibra o jogo. 


A arma "S" é a "Metal Blade" de Contra

Share on Google Plus
    Blogger Comment

0 Comentários:

Postar um comentário