Por que a Capcom não lança mais nenhum Mega Man?

     

    Entre o fã médio de Mega Man, falar de lançamentos de jogos quase sempre se refere a desejos futuros ou a sucessores espirituais. De novidades vindas da série, temos apenas aparições em crossovers e produtos licenciados. E por mais que muitos não notem, esse contexto acaba sendo justamente um dos fatores que mais contribuem para que não hajam mais jogos de Mega Man. Obviamente que orçamentos altos e vendas incertas são algo que influi nas decisões da Capcom, mas aqui elas não o único fator determinante. Indo direto ao ponto, vou lhes fazer uma pergunta: Mega Man da lucro para a Capcom hoje?

É difícil afirmar até onde Mega Man gera lucro, mas mesmo sem lançar jogos, a Capcom ainda colhe frutos da franquia. É impossível mensurar quanto a Capcom ganha, mas com todas as cartas a mão, Mega Man ainda é uma fonte de lucros bem sólida. Para chegar até
Mega Man - Archie (Via The Mega Man
Network)
o ponto, vou deixar outra pergunta: qual é o produto de Mega Man mais relevante no mercado atualmente? Se eu fosse escolher, um palpite seria a HQ de Mega Man feita pela Archie.
 Mesmo que ela seja pouco vista aqui no Brasil, em seu principal mercado - o americano - ela possuía uma boa aceitação entre o público infantil e com o fandom da série. Oras, mesmo seus detratores costumam acompanhá-la justamente porque de uma forma ou de outra a HQ mantém a série na ativa. Além de criar público novo sabendo se vender corretamente para o público infantil, essa HQ consegue cativar bem e em certos momentos como o crossover com o Sonic, ganhar boa parte dos holofotes da "comunidade gamer". E quanto a Capcom gasta com isso tudo? Provavelmente não muito, se é que gasta. Não sei qual é o acordo entre a Archie e a Capcom, mas o mais natural é que a Archie tenha conseguido as licenças para usar o nome Mega Man em sua HQ, enquanto cede parte do lucro dela para a Capcom, que além de ganhar dinheiro diretamente dessa forma, ganha propaganda de graça e mantém sua marca viva sem gastar seu próprio dinheiro. E não gastar dinheiro para lucrar é um contexto confortável para a Capcom.
Mega Man em Super Smash Bros
Hoje, Mega Man vive de licenciamentos. Temos HQs, figures, e todo o tipo de quinquilharias para os mais diversos públicos, que por gostar de Mega Man e não ter onde direcionar seu fanatismo, compra as mesmas. Mas uma franquia de games precisa de games, não? Aí entra outra parte do processo, no qual o fandom tem grande participação. Mesmo sem jogos lançados, Mega Man não deixou de ter participações (algumas importantes, inclusive) em jogos novos. Ignorando aparições em jogos mobile irrelevantes ou coisas como Rockman Xover, tivemos a participação de X, Zero e outros personagens da série X com um bom destaque em Project X Zone. E não é só isso, temos também a icônica aparição do Mega Man original em Super Smash Bros, com direito a vídeo exclusivo de sua revelação na E3 (e isso é MUITA coisa). Até um Amiibo Mega Man ganhou, e é difícil acreditar que a Capcom não está lucrando com isso. E os que querem algo mais tradicional ainda tem duas alternativas: os sucessores espirituais e os fan-games.
Mighty no. 9, o "sucessor espiritual"
Mesmo que Gunvolt e Mighty no 9 tentem se vender como algo novo, até pela sua própria natureza sempre serão associados a Mega Man. Ou seja, por mais que eles se vendam, acabam por tabela vendendo Mega Man, assim saciando por um tempo a vontade de jogar um Mega Man de fato. Quanto aos fan-games não precisa ser dita muita coisa. São o fandom de Mega Man projetando seus anseios, frustrações e por que não citar também, suas teorias apocalípticas em forma de jogos, e um cenário onde você tem sete sub-séries com certas lacunas entre elas é um território fértil para esse tipo de coisa. E notem que a Capcom raramente interfere nesses fan-games, e vez ou outra até os incentiva, como foi com Mega Man vs Street Fighter.


"Por que gastar dinheiro se os fãs fazem o trabalho sujo?"
  Mas a margem de vendas e os gastos de se fazer um Mega Man não influem também nas decisões da Capcom? É claro que sim, mas antes de deixar as coisas apenas no preto no branco, vamos olhar um pouco os últimos lançamentos da linha principal da franquia (por hora irei ignorar a série Starforce, já que na prática ela não serve de tanta referência no que deve se tomar como base do que é Mega Man. Mas a título de constatação, seu desempenho comercial foi fraco). Olhemos para dois dos últimos  jogos de Mega Man lançados: Mega Man ZX Advent e Mega Man 9. Em um tivemos um orçamento considerável, gerando um jogo com um belo detalhismo gráfico, um som impecável e até cutscenes bem animadas (e não se esqueçam, estamos falando de um jogo de DS). Além disso, o jogo ainda contou com um mangá para ajudar a divulgá-lo. Bastante gastos não? Sim, mas o jogo foi um fracasso enorme de vendas. Não vou entrar no mérito do porque aqui (se fizesse, esse texto ficaria ilegível de tão grande) mas o ponto é que algo ousado, diferente, inovador e custoso não levou a lugar nenhum além do fracasso. Os Mega Man lançados para PSP também tiveram o mesmo resultado com o mesmo tipo de investimento. O próximo passo
Bem aceito? Sim, mas nem por isso vendeu
teria que ir totalmente na contramão. Os anseios mais autorais do Inafune e sua fiel equipe, reuniram-se para criar aquele que é a coisa mais puramente Mega Man desde... X4 talvez? Era um jogo que não tentava ser um estrondo de vendas, mas sim um revival de tudo aquilo que o tempo e o mercado trataram de limar de Mega Man, surgindo assim o conhecido Mega Man 9. O jogo não tinha um orçamento tão grande (não se gastou tanto com gráficos, mas com a equipe de designers os gastos foram consideráveis para fazer algo estilisticamente fiel aos jogos originais, coisa que fan-games como Mega Man Unlimited pretensamente tentam fazer e falham miseravelmente). E deu certo? Sim, e como deu. O jogo foi um sucesso de vendas além do esperado, teve uma repercussão relativamente boa da crítica (só não foi melhor pelo choque causado e por ir na contramão de tudo em sua época não o permitiria ser avaliado como deveria), mas é curioso que dentro do fandom de Mega Man ele se tornou um barril de pólvora. Mencionar Mega Man 9 em fóruns rendia discussões, tanto de detratores quanto de defensores. Detratores e defensores também começaram a surgir em blogs e na mídia especializada, tornando algo que inicialmente só visava ser um adeus despretensioso aos fãs de da velha guarda virar motivo de constante análise e argumentação. Não a toa Mega Man 10, que seguiu os moldes do seu antecessor, foi um jogo muito mais contido criativamente falando e acabou tendo uma recepção mais morna do que merecia. Ou seja, mesmo quando um Mega Man deu certo, a polêmica e consequentemente a má reputação acabam vindo junto, e hoje o nome Mega Man acaba sendo sempre associado negativamente a Capcom, a ponto de que para ela é até melhor que não associem Mega Man a ela, que hoje é muito mais lembrada por Street Fighter, Monster Hunter e Resident Evil do que por Mega Man. Ou seja, deixe que os fãs e o Inafune gastem seu tempo, dinheiro e imagens, que a Capcom hoje só vai colher o fruto dos mesmo sem se mexer muito, pois para ela isso convém. E entupindo o mercado com produtos licenciados, já que no final, eles venderão de um jeito ou de outro.

Duas faces de uma mesma moeda
  E como se reverte essa situação complexa, que tende a acabar ruindo em algum momento? Eis o problema, não tenho a resposta. E creio que é um cenário complexo demais para apenas uma ideia mudar a situação. Mas ainda temos material para especular. Se a franquia se mantiver dessa forma por mais algum tempo, e a Capcom como um todo não melhorar o quadro ruim que se encontra hoje, em algum momento ela terá que se mover. O que exatamente ela faria e como isso afetaria Mega Man eu não sei, mas o ideal seria ela entregar Mega Man nas mãos de quem vai saber usá-lo bem. Inafune? Inti Creates? Way Forward? Nintendo? Aí é especulação demais para mim. O que gostaria de dizer por fim é que essa é apenas uma visão que tenho do quadro atual de Mega Man, e não tenho a pretensão de dar a "resposta definitiva" sobre sua situação, mas apenas ajudar a olhar o quadro atual de forma mais sóbria e assim permitir análises mais concretas, para que se chegue assim em algum lugar. Em muito, Mega Man é vítima de seu contexto, e a pouca percepção disso acaba colaborando para que tal contexto não mude. E se serve de alívio, um descanso temporário para o Blue Bomber ainda é uma situação melhor do que forçá-lo goela abaixo do mercado atual, descaracterizando-o, e por tabela, destruindo a franquia. No estado atual de Mega Man, ainda temos ao menos a esperança e a possibilidade de um futuro melhor, e isso ainda vale muito.
Nada é tão ruim que não possa piorar

Share on Google Plus
    Blogger Comment

6 Comentários:

  1. Ótima matéria eu ia falar sobre o assunto no Portal Mega X mas o texto da Rockman Central está bem detalhado. Merece um compartilhamento!!! Os games nos e-shops continuam vendendo isso realmente faz com que Mega Man indiretamente não esteja na geladeira como a maioria pensa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa... Ficamos muito felizes que tenha gostado do artigo :D ... Concordo que o Mega continua vivo graças aos jogos da e-shop mas um Legends 3 também seria bem vindo kkk

      Excluir
  2. Eu acho que Xtreme tem tudo para trazer de volta ao auge toda a série. Imagine um Xtreme 0 você jogando com o Sigma e enfrentado o Zero no final ou mesmo o surgimento da nova geração de reploids como Alx. A partir de Xtreme acho que as demais teriam mais força para voltar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o enredo envolvesse a participação do Axl acho que uma boa história poderia ser contada, ainda mais se fosse um jogo mobile (mercado que cresceu bastante nos últimos anos e que continua crescendo). Um jogo que contasse a história de algum vilão também seria bem-vindo desde que dessem uma caprichada no enredo, vide o caso de Prometheus e Pandora...

      Excluir
  3. Se fizessem um investimento decente num jogo (ou uma sequência de jogos) que de fato desse ligação entre o universo clássico e o X, certamente o interesse geral seria muito alto. Mas a Ca$hcom acabaria mais uma vez no seu ciclo pernicioso: se vender bem, tem que continuar (furar a história, como no X6...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste verdade meu caro :'-( ... Sonho com um jogo desse tipo desde que comecei a jogar mais os games das séries Clássica e X. Até que esse game seja lançado o final da Clássica pra mim sempre será o Mega Man 2: The Power Fighters

      Excluir